Como as empresas podem se adaptar ao "novo normal"?

Pós-pandemia cobra adaptação rápida das empresas para sobreviverem no mercado


A realidade é que a pandemia tornou mais urgente para as empresas, rápidas mudanças tecnológicas e de estilo de vida, que antes, para muitos empresários, seriam impensáveis. E dois conceitos que agora são verdadeiras palavras de ordem para os empreendedores: inovar (constantemente) e buscar competitividade.


Porque quem ainda não havia entendido, agora vai aprender, por vontade ou pelo sofrimento, que sempre haverá alguém que estará pensando em como atender melhor o seu cliente, então, é melhor que a empresa que você trabalha ou dirige seja tenha esta filosofia ou pode se complicar de agora em diante.


Criar uma cultura de inovação dentro de um empreendimento de qualquer porte pode parecer complicado, mas é simples, mesmo porque há várias maneiras de fazer isso, experimentando novos caminhos.


Neste retorno da pandemia, as empresas precisam relembrar de fazer o básico: que é sempre atender bem, sempre manter os custos bem controlados, manter a equipe motivada e cada vez mais manter uma aproximação com os clientes pelas redes sociais. Tudo isso tem que acontecer de forma integrada dentro da empresa.


Então não adianta nada agora querer fazer tudo digital e esquecer do atendimento presencial se, de repente, você tem uma loja. Porque pode ser que as pessoas voltem a fazer compras e o seu atendimento precisa garantir que o seu cliente tenha uma boa experiência. E, claro, mantenham as compras e as atividades comerciais próximas à sua empresa.


Ter ações bem planejadas e ser criterioso ajuda bastante neste novo momento. Nessa inovação e no quesito manter a competitividade, tem que ter uma conscientização porque pode ser que as pessoas voltem a consumir, mas voltem a consumir aos poucos, porque não vai ser uma retomada de qualquer jeito. É essencial manter os estoques bem controlados, não fazer compras demais agora, porque pode acontecer que a economia demore mais um pouco para retornar ao normal.


Durante a pandemia, muitas empresas não tinham uma reserva financeira suficiente para cobrir os gastos e folha de pagamento por esses meses e pelos próximos meses que podem não ser muito rentáveis.


É importante manter a saúde financeira, manter a renegociação com os fornecedores, para que assim que acabe a pandemia não retorne aos pregos normais, que consiga renegociar o aluguel, porque mesmo na retomada pode ser que o empreendedor não tenha um volume de faturamento tão alto. Buscar manter este aluguel num valor mais baixo durante mais um ou dois meses, manter uma política de compras sadia, que o empreendedor consiga comprar de uma forma não exorbitante, porque o mais provável é que o consumo retorne aos poucos.


A saúde financeira pode ajudar a manter a competitividade nesse retorno pós-pandemia. Sempre com bastante conservadorismo, principalmente para os setores essencialmente presenciais.